Sobre acessibilidade

Serviços

Notícias Mais Notícias

22/12/2017 - 11:00

A unidade, que já atendeu desde o ano passado quase 4 mil pessoas, também cuida de seus profissionais com a aplicação da vacina contra a doença

16/02/2021 19h25 - Atualizada em 16/02/2021 22h24
Por Bruna Brabo (SECOM)

Famílias se reuniram nesta terça-feira (16), em frente ao Hospital de Campanha de Belém, no Hangar - Centro de Convenções, para orar e agradecer pela recuperação de mais dois pacientes oriundos do Estado do Amazonas, que receberam no Pará o tratamento contra a Covid-19.

"O sentimento é inexplicável. A gente veio de uma realidade muito complicada, com os hospitais lotados, capital lotada, gravemente sofrendo com a pandemia. O meu irmão foi intubado ainda em Parintins (município amazonense). Veio desacordado para Belém, e aqui tivemos o atendimento devido. Somos eternamente gratos ao Governo do Pará por nos recepcionar. Nós temos uma irmandade com o Pará e com Nossa Senhora de Nazaré, e através da fé e da aliança dos dois estados vamos superar essa pandemia", disse Joel Araújo, enquanto aguardava a alta médica do irmão.

Depois de 26 dias internado, o comerciante Jandir Araújo, natural de Parintins, não via a hora de ir para casa e reencontrar a família, em especial a esposa, que está com oito meses de gravidez. "Agradeço primeiramente a Deus e a todos os médicos e profissionais. Agradeço ao povo paraense que nos acolheu. É uma estrutura grande, superequipada, com grandes profissionais. Estou muito feliz de voltar pra casa. É um sentimento indescritível", declarou Jander Araújo, emocionado com a recuperação.

O Hospital de Campanha de Belém já recebeu 41 pacientes transferidos do Amazonas, dos quais dois continuam internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e dois na enfermaria; 27 receberam alta e oito faleceram. 

Cuidado contínuo - Após a liberação pelos médicos, os profissionais repassam as recomendações e orientações aos pacientes, de acordo com cada caso. "É importante salientar a continuidade dos cuidados aos pacientes de alta, até para que não venham a desenvolver novamente a doença, até porque hoje tem a nova cepa, que é uma variante com alto índice de transmissão e pode comprometer ainda mais a infecção dos pacientes", ressaltou o diretor Operacional do Hospital, Rogério Kuntz.

O tratamento da Covid-19 requer o trabalho de uma equipe multidisciplinar. Além do médico, os demais profissionais - psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, nutricionistas e etc. -, têm papel fundamental na recuperação dos pacientes.

De acordo com o boletim da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Hospital de Campanha de Belém atende, neste momento, 150 pacientes, sendo 69 em leitos de UTI. Desde sua abertura pelo Governo do Pará, em 2020, a unidade já recebeu 3.970 pacientes, dos quais 255 foram transferidos, 2.689 receberam alta e 878  não resistiram à doença.

Vacinação - Ainda nesta terça-feira (16), foi concluída a primeira fase de vacinação dos profissionais de saúde que atuam no Hospital de Campanha. Cerca de 200 trabalhadores receberam a vacina Oxford/AstraZeneca. Um momento de alívio para quem está no enfrentamento direto da pandemia. 

"Estou no Hangar há quase um ano, e poder ser vacinado é um sentimento muito bom e de segurança. Hoje, após a vacina, eu posso me sentir mais tranquilo e confiante como profissional atuante no combate ao coronavírus. É uma alegria para nós ajudar essas pessoas e poder fazer parte da recuperação deles, principalmente dos nossos vizinhos do Amazonas", afirmou o nutricionista Caio Bentes.

O diretor Rogério Kuntz ressaltou a importância da imunização desses trabalhadores. "Nós precisamos desses profissionais imunes para que tenhamos o quantitativo desse pessoal adequado e preparado para fazer frente nessa pandemia", acrescentou.